sábado, 11 de junho de 2016

outrarevisãoeterna

A torta de amora
Imóvel
Sob a mesa.

A cereja
Devorada
Entre os dentes

A ânsia contida
De correr
Sob o parapeito

E ainda há quem defenda
O fim
De todo
Silêncio


(de toda solidão/ou de toda tristeza)  lis 09/06/16