segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

A Tormenta

Tenho provado um bocado de sensações familiares, volta e meia banais, as quais oriundam a mediocridade dos trinta anos, assolando-me ideias prematuras.

Ou, quem sabe, fragilizada, atribuo tais sensações às primaveras mais envelhecidas, cuja essência transborda na mocidade.

De todo modo, incongruentes com o passado e determinadas a trepidar meus dias curtos, cujas noites se estendem entre suspiros e angústias, epifanias e por suposto tragédias, tamanho desconcerto fomenta a incumbência de remanescer sob vigília. Desperta para a vizinhança, a dissonância sonora dos corvos e as estradas hermeticamente polidas, brilhando com o presságio da neve.

Atrelei-me ao intrínseco das palavras, alheia às consequências dos anos desgastados, aporrinhados por memórias natimortas perfazendo a incapacidade de palpar-lhe o âmago. Tórpida sob o vão da calçada; desta vez és tu que observa os transeuntes, carregando no semblante uma espécie de ojeriza e desconforto.

Exasperada, a deleitar-se de cólera e desgosto, lamentei a refuta dos laços corrompidos por mãos indelicadas, os olhares desviados, os passos cambaleantes guiados por desejos incognoscíveis, outrora esperançosos, teimando em se espalhar pela relva para abarrotar na lama.

Quando então dei-me conta de que por beirar o tormento decadente das auroras taciturnas é que lhes maldizia os cafés da tarde e o estender dos lençóis. A engenhosidade de feriados prolongados ventava o seu retrato, sobrepujando vestígios da repreensão calcada nas horas por palavras infames.


Esta incapacidade de prender-me ao tempo ainda há de sugar qualquer sorriso escorregadio na tormenta dos teus olhos.


Lis, segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

entre nossa carcaça
acumulando
reminiscências da vida
desdobra-se
em um coro límpido
plácido
o mais sinuoso dos toques
tal qual um sopro aprisionado
quando, subitamente
liberta-se e vê
que na relva jaz nossa alma
esburacada
destemida
outrora solta
renunciando a lástima
de passos trôpegos
que teimam
mas falham
em desfazer tamanho encanto


lis 7/12/2015