sábado, 14 de agosto de 2010

Durma Com Os Anjos


Aproximadamente quatro horas da manhã e a imaginação não me permite adormecer. Os ventos passam a bater fortemente na janela implorando para entrar. Talvez, em meus mais profundos devaneios, sejam minhas memórias desejando penetrar em meu inconsciente. Por que pedem para entrar se jamais saíram? Estranho.
       Levanto-me, percorro a escuridão da casa até o refúgio dos refúgios existentes para alguns infantis temores. Deito-me ao lado daquela que gerou minha mãe e que gerou meu cuidado. A ventania não cessa em meus ouvidos.
                - Que cheiro de café. – diz ela.
        Meus vícios vão sorrateiramente se revelando. Que apenas esse vício seja descoberto. Perdi-me em meio às ruas. O sono não chega. É hoje. Três anos, 36 meses, 1095 dias, 26.280 horas e uma vida. Bom dia, raposinha espertinha.
                                                   Lígia Portela Schipper.